quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

REMAX PRO fecha o ano 2013 com 270 % de crescimento em faturação.

2013 foi o ano muito importante na consolidação da REMAX PRO enquanto a agencia líder no mercado imobiliário no Porto. A equipa aumentou para 25 profissionais focados em ajudar a todos os clientes na área do Grande Porto.
Os principais mercados de atuação foram a cidade do Porto, Vila Nova de Gaia e Matosinhos.
A equipa fechou o ano com mais de 200 transações imobiliárias e o maior crescimento em faturação entre todas as equipas REMAX no Norte do Pais e um dos maiores em Portugal.

A equipa de gestão da agencia integra além da gestora Joanna Koltan,  Diretores de Qualidade, Dept.º de Coordenação Comercial, serviços jurídicos, serviços de web design e  mais de 20 agentes imobiliários especializados em variadíssimos nichos do mercado imobiliário. Os clientes contam também com apoio a nível de contabilidade e solicitadoria.

Os objetivos para 2014 são bem claros: aumentar a equipa comercial em 25%, consolidar as vendas de apartamentos de tipologia T1, T2 e T3 no Porto através de aumento de carteira de imoveis na base de dados e crescimento de mais de 50% em faturação.

Novas estratégias para o mercado internacional também são uma aposta importante para REMAX PRO. Com presença e promoção dos seus imoveis em mais de 100 portais internacionais, participação nas feiras internacionais Europeias e eventos internacionais da marca REMAX  a equipa pretende aumentar 20 % as vendas para o exterior.

As tipologias mais vendidas pela equipa PRO em 2013 foram apartamentos de tipologia T1, T2 e T3 no Porto e em Vila Nova de Gaia. Ao mesmo tempo verificamos que a procura dos  compradores tem sido similar, os clientes pedem principalmente os apartamentos desde T1 até T3 na cidade Invicta.
O preço medio de venda dum imóvel PRO esta fixado em 108.730€ com aumento de cerca de 13 % registado ao longo do ano 2013.

A equipa de gestão da agencia esta muito otimista para o ano 2014: "estamos a notar uma crescente procura não só por parte dos investidores ( que têm sido um motor de crescimento de vendas em 2013) mas finalmente por parte das famílias de classe media portuguesa com necessidades de mudar de casa ao curto medio prazo. Registamos mais pedidos para financiamento parcial o que nos demonstre que lenta estabilização do mercado esta próxima. Ainda não podemos falar na retoma, mas sem duvida o 2014 será o ultimo ano para fazer investimentos com valores atrativos no imobiliário" refere a Joanna Koltan, responsável por acompanhamento comercial desta equipa de profissionais.

Sem comentários:

Enviar um comentário